Avaliação Comportamental na Infância e na Adolescência em 3 Passos

Inêz Kwiecinski   /   Dicas para Psicopedagogas, Para os pais   /   Deixe um comentário

Compartilhe este artigo!

As crianças são fascinantes: São espertas, alegres, agitadas… Mas dê a elas condições inadequadas para seu desenvolvimento e elas podem se tornar o pesadelo de muitos pais. Indisciplina, depressão infantil (sim, existe e deve ser tratada), mudança de atitudes, problemas escolares, agressividades, e a lista segue… a boa notícia é que podemos identificar e tratar estes problemas a partir de uma Avaliação Comportamental com um psicólogo clínico infantil, que realizará sessões de Psicoterapia com a criança.

A Psicoterapia Infantil trata estes problemas e ajuda a corrigir o rumo saudável de crescimento psíquico e cognitivo da criança. Ela é também conhecida como “ludoterapia” e é uma prática que está a serviço do bem-estar e da qualidade de vida da criança, e também do ambiente familiar, sendo imprescindível uma Avaliação Comportamental bem feita.

Existem problemas que são mais facilmente identificáveis pelos pais, como uma criança inquieta e agitada, que pode ser um tipo de hiperatividade, mas que na maior parte dos casos acaba sendo ignorado com comentários do tipo “ele é agitadinho né?”, onde os pais raramente tratam isso como um “problema”.  Mas há muitas outras atitudes que passam despercebidas porque há uma falsa crença que a criança não pode ter problemas psicológicos.

Mas não é verdade.

A criança se deprime, se torna infeliz,  só que manifesta de maneira diferente do adulto: através de agressividade “incomum”, de medos, do “fazer xixi na cama”, do querer ir para a cama dos pais, entre outros.

A psicoterapia infantil serve para descobrir o que está ruim para ajudar a criança a lidar com os seus sentimentos negativos. Para isso, já que a criança não é capaz de analisar os seus problemas, o psicólogo recorre a instrumentos que ela se identifica, como o jogo, o brincar e o desenho. De forma geral a psicoterapia é solicitada pelos pais, responsáveis ou professores para a criança quando é identificado algum comportamento repetitivo e não usual que passa a os preocupar.

Avaliação comportamental

Avaliação Comportamental em 3 passos:

A avaliação comportamental de crianças e adolescentes depende de uma cuidadosa investigação clínica realizado por um psicólogo clínico com experiência na área. Essa investigação é feita em três passos:

  1. Entrevista com pais e paciente;
  2. Avaliação da escola e dos professores;
  3. Devolutiva e avaliação do paciente.

Após esse contato inicial com os pais e/ou responsáveis pelo paciente e ter as informações do ambiente escolar, o psicólogo terá contato com o paciente e iniciará o processo avaliativo, isto é, poderá verificar a capacidade e habilidade de comunicação, interação social, atenção, memória, pensamento, inteligência, linguagem, afetividade e humor.

A avaliação comportamental visa identificar possíveis transtornos comportamentais, condições ambientais, problemas familiares que podem interferir no cotidiano do paciente como no desenvolvimento acadêmico e social e leva no mínimo quatro sessões, dependendo de diversos fatores como a necessidade ou não de aplicar provas específicas e também da colaboração da criança.

Veja agora os 03 passos de uma avaliação comportamental:

1) Entrevista com os pais e paciente:

A entrevista inicial com os pais deve ser realizada sem a presença do filho para que possam comunicar a queixa, preocupação, angústia e dúvidas. Muitas vezes os pais se sentem inibidos em falar dos problemas familiares na presença da criança e/ou do adolescente.

Neste momento, o psicólogo clínico deve buscar a história pregressa do futuro paciente, desde a história gestacional da mãe até o momento que buscaram auxílio. A importância dessa avaliação do desenvolvimento é que se pode identificar alguns sintomas que são importante para o futuro diagnóstico.

Em um segundo momento, apenas a criança estará presente para o profissional identifique a partir de diversas atividades traços de sintomas que podem ou não se relacionar com a entrevista inicial com os pais.

Esta parte da avaliação poderá exigir mais do que uma consulta, pois dependerá da participação da criança, bem como outros fatores.

Avaliação comportamental psicoterapia

Psicoterapeuta pode utilizar jogos para avaliar o paciente.

2) Avaliação escolar e dos professores:

A avaliação dos professores é de suma importância, pois a escola é o local onde a criança e o adolescente passa a maior parte do tempo, e os sintomas que apresentam no ambiente familiar também refletirá na escola.

O objetivo dessa avaliação é poder ter informações sobre o paciente através de um parecer escrito e dissertativo feito pelo professor e/ou pela coordenação pedagógica que envolva aspectos acadêmicos e sociais do aluno.

3) Devolutiva e avaliação do paciente:

Após essas intervenções, o psicólogo recebe novamente os pais para devolver a eles o resultado da avaliação e delinear qual será o melhor tratamento, podendo ser necessário o encaminhamento para outros profissionais da área, como psicopedagogo, fonoaudiólogo, nutricionista, psiquiatra, entre outros, para realizarem uma intervenção interdisciplinar com o objetivo principal de resolver a problemática.

Bom pessoal, assim esclarecemos um pouco dos processos avaliativos usados por diversos profissionais.

Aproveite o espaço de comentários para deixar sua dúvida! 

Inêz Kwiecinski
Psicopedagoga Clínica com especialização em Neuropsicopedagogia.
É diretora do Espaço PsicoEnvolver, clínica multidisciplinar que tem a missão de ajudar no desenvolvimento de crianças com dificuldades de aprendizado. Escreve para o Blog PsicoEnvolver.

Compartilhe este artigo!